Textos

UM QUADRO NEGRO
Após o recreio, a professora resolveu fazer uma aula interativa, ou seja, ela achou que estava na hora dos seus pequenos alunos falarem um pouco do que cada um pensava ou queria da vida.
Ela entra na sala, pede silêncio, manda que todos se assentem e após ser obedecida dirige-se àquele que é o mais hiperativo da sala e que ainda suado, está a se abanar com um caderno.
- Igor... o que você quer ser quando crescer?
- Traficante, professora – ele respondeu na “lata”, sem pensar. Todos sorriram.
A professora ficou estupefata e gaguejando ralhou-lhe.
- Que isso menino!? Para de falar besteira! Como assim... traficante?
- Ora professora... porque o traficante é mais respeitado que o presidente da república.
− Não diga!? – desdenhou a professora
− Claro que é professora! Eu vejo o meu pai xingar o presidente e os outros políticos de tudo que é nome feio, mas quando ele e a minha mãe vão falar de um traficante que mora perto lá de casa, eles conversam, bem baixinho e até já me disseram: “não fale nada desse senhor para ninguém e procure respeitá-lo, viu, porque é ele quem manda aqui.
A professora explicou-lhe que ser traficante era ficar às margens da lei, entretanto os argumentos do menino eram mais consistentes que os dela, devido aquilo que ele via e vivia.
Deixando o menino Igor de lado a professora perguntou à Thaís a primeira aluna da classe.
- E você Thaís o que quer ser quando crescer?
- Quero ser freira professora – respondeu abrindo um largo sorriso.
- Ah é? E por quê?
- Porque a minha mãe diz que os padres e as freiras falam com Deus. Eu gosto de ir à missa com a minha mãe, professora...
- Uma salva de palmas para a Thaís gente – pediu a professora.
Foi aquela barulhada, palmas assovios e batidas na carteira, fora as brincadeirinhas, com alguns cantando em coro: “A Thaizinha vai ser freira! A Thaizinha vai ser freira!
Acalmando os ânimos a professora pergunta a outro aluno.
- E você Edu o que quer ser quando crescer?
- Quero ser ladrão professora!
- Você “tá” louco menino? Que ideia é essa de ser ladrão?
- Para agradar o meu pai professora.
- Deixa de conversa... e o teu pai lá iria querer que você fosse ladrão?
- Ia sim professora! Um dia no churrasco que teve lá em casa eu ouvi ele conversando com os meus tios e dizendo: “Eu prefiro que meu filho seja ladrão do que veado” e como eu não quero ser “veado”, decidir ser ladrão.
A professora balançou a cabeça de forma desanimada e sentando-se resolveu buscar outra atividade para preencher aquele horário que restava. Enquanto ela vasculhava os seus livros ouviu alguém gritando.
- Professora... professora...
Levantando a cabeça ela viu uma aluna lá no fundo da sala de pé.
- Pode falar Ritinha... o que foi?
- A senhora não perguntou o que eu quero ser
- Está bem, me desculpe! E o que você quer ser quando crescer?
- Prostituta!
- Vocês enlouqueceram hoje? Perguntou a professora irritando-se – me explica porque razão você quer ser prostituta, se você nem sabe o que é isso?
- É que eu sempre quis ser igual a senhora quando crescer e naquele dia que a senhora me deu nota vermelha em matemática e falou que se eu não estudasse a senhora iria me reprovar; eu contei para os meus pais na hora do jantar e a minha mãe ficou muito brava largou o jantar na mesa e quando ela estava brigando com o meu pai lá no quarto eu ouvi meu pai dizendo: “Não senhora, você não vai a lugar nenhum”! E a minha mãe dizia aos berros: “Não vai ser você quem vai me impedir de dizer umas verdades na cara daquela prostituta que dar aula para nossa filha”. E como eu quero ser igual a senhora eu resolvi ser uma prostituta quando eu crescer.
É claro que a professora explicou aos seus alunos todos aqueles mal-entendidos, mas daquela aula, ela tirou duas lições importante:
* a primeira é que os pais se esquecem que além de pais, eles também são educadores dos seus filhos.
* a segunda, é que a família que não dá exemplos de respeito, gera e cria um delinquente.
Resumindo: a escola passa conhecimento ao aluno e o prepara para ser! Os pais ensinam ao filho sobre a vida e o prepara para viver!
Os pais sempre foram e serão a primeira e a maior referência de uma criança, por isso é preciso ter muito cuidado com o que se diz e o que se faz, pois, todas as ações dos pais são ensinamentos.

Francyo Dias
Francyo Dias
Enviado por Francyo Dias em 19/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários